O que fazer com esmaltes fora da validade?

Aí está uma dúvida que assombra mulheres em geral, e também, claro, as manicures profissionais. O esmalte passou da validade, e agora? Preciso jogá-lo fora?

Em primeiro lugar, é preciso dizer que essa coisa de validade é questionável – ao menos, quando se trata de esmaltes. O motivo é que a Anvisa, a agência que regulamenta a produção e venda dos esmaltes, avalia os cosméticos da mesma maneira que avalia remédios. Ou seja, eles são extremamente exigentes. Por esse motivo, eles não permitem que o prazo de validade informado ao consumidor seja maior do que 3 anos – mesmo que o produto ainda seja “usável” depois de cinco ou seis anos. É interessante que, se você comprar o mesmo produto no exterior, vai descobrir que lá eles informam um prazo de validade bem mais longo.

Além disso, no exterior, a validade começa a contar a partir do momento que o vidro é aberto. Enquanto isso, no Brasil, ela é calculada a partir da fabricação. Ou seja, estamos considerando os meses que o esmalte fica parado na prateleira da loja. Isso não faz realmente sentido, pois enquanto o vidro não é aberto, o esmalte não entrou em contato com o ar – e, portanto, não pode se deteriorar. Para resumir a história, a conclusão é que um esmalte ainda pode estar em boas condições para o uso muito tempo depois de a validade acabar. Isto é, desde que tenha sido armazenado corretamente.

Esmaltes-Vencidos
Mas é claro que, depois de três anos, independente da validade, você vai notar alguma alteração no esmalte. Quando o esmalte começa a engrossar, ele ainda pode ser usado. Basta aplicar um pouco de acetato, ou um óleo de banana. Essas substâncias já fazem parte da composição normal de um esmalte, então sua pequena “experiência química” não vai produzir nada nocivo. Na verdade, como o acetato evapora facilmente, é bom repor após algum tempo com o vidro aberto. Fazendo isso, o esmalte se dissolve novamente e permanece adequado por mais tempo.

O problema é quando o esmalte muda de cor ou textura. Isso é um sinal de que alguma reação química ocorreu ali. Como a reação é desconhecida, também não sabemos que efeitos ela pode ter se colocada em contato com a pele. Usar um esmalte nestas condições pode causar alguma alergia a suas clientes e com certeza vai acabar em problemas.

Quando isso acontece, aí sim, o melhor a fazer é descartar o esmalte. Não jogue na pia ou pela descarga, pois os componentes químicos do esmalte contaminam a água; em vez disso, despeje em um papel toalha, espere secar e coloque junto com o material reciclável (de preferência, em um saco identificado) para incineração.

Porém, se você trabalha como manicure, tem outro aspecto em que precisa pensar: é na imagem do seu negócio. Caso alguma cliente perceba que os esmaltes estão fora da validade, isso pode prejudicar a maneira como ela vê seu salão, mesmo que seu trabalho seja excelente. E todos sabem que a propaganda boca-a-boca se espalha depressa – tanto a positiva quanto a negativa.
Por isso, manter esmaltes fora da validade – contanto que estejam bem conservados – pode ser uma opção para economizar aquele esmalte caríssimo e exclusivo, que ainda está quase cheio. Mas evite fazer isso repetidamente. Troque de maneira regular, a cada três anos, os esmaltes mais comuns e baratos. Afinal, neste período, até mesmo as cores da moda já mudaram também.

Veja Também

Como acabar com as Unhas Encravadas

Existem muitos problemas que podemos ter nas unhas, mas um dos mais incômodos e doloridos ...

Como Dobrar seu número de Clientes, e GANHAR até 3X mais?
#3 Dicas para MANICURES.
Informe seu EMAIL, para receber nossas DICAS.
Muito Bom!
Parabéns

Fechar